google201fcf4808d38e23.html

CHAPECÓ – SC

Rua Uruguai 71E sala 208, Centro

(49) 99824 6006

 

ATIVIDADES 2020

 

 

IV SINFONIA DOS MOVIMENTOS DO INCONSCIENTE NA CLÍNICA E TEORIA PSICANALÍTICA

Lia Cunha Poletto, 
Návia Terezinha Pattussi
Vânia Aparecida Pattussi

Este curso visa acolher o desejo daqueles que vislumbram uma formação psicanalítica ou desejam conhecer mais profundamente os fundamentos da psicanálise bem como sua aplicabilidade na clínica.

Os seminários ofertados discorrerão sobre a teorização da psicanálise quanto ao nascimento do sujeito do inconsciente, objeto de intervenção e emergência na clínica psicanalítica. A linguagem, especialmente através da fala, é o fio que permeia o arcabouço teórico da psicanálise e as temáticas abordadas no curso. É o fator determinante tanto da constituição do sujeito como da sua revelação e velamento através do que diz.

Seminários: A formação do psicanalista; Linguagem e inconsciente em Freud; Linguagem e inconsciente em Lacan; Narcisismo e estádio do espelho; Real, simbólico e imaginário; Desejo e os registros da falta; A teoria das pulsões; Falo e o complexo de Édipo; Transferência; Teoria do significante e a letra; Sintoma; Repetição; Estruturas clínicas – perversão, neurose e psicose; A técnica psicanalítica; Clínica da infância; Ato psicanalítico e Quadros clínicos na contemporaneidade.


Ministrantes:
Lia Cunha Poletto
Mario Fleig
Conceição de Fátima Beltrão Fleig
Vânia Aparecida Pattussi
Návia Terezinha Pattussi
Ajaúna Piccoli Brizola Ferreira
Margareth Kuhn Martta
Izabel Joana Dal Pont

Período:  07/03/2020 à 07/11/2020

Frequência: mensal, sábados

Horário: 8h30 às 12h e 13h30 às 17h

Modalidade: Curso presencial com ministrantes que realizarão seminários presenciais e semi-presenciais

Local: Sede em Chapecó e/ou online

 

QUESTÕES DA CLÍNICA PSICANALÍTICA

Mario Fleig

Grupo de discussão de questões oriundas da prática clínica em conexão com a leitura do Seminário IX de J. Lacan, A Angústia

 

Horário: 14h às 15h30

Datas: 20/03, 17/04, 15/05, 26/06, 10/07, 21/08, 18/09, 16/10, 20/11, 11/12/2020

Modalidades de participação: Presencial em Porto Alegre e online em Chapecó

Local: Praça Mal. Deodoro, 130/1502 – Centro Histórico – Porto Alegre e/ou online com sede em Chapecó

Contato: m.fleig@terra.com.br

 

 

GRUPO DE ESTUDOS - SEMINÁRIOS DE JACQUES LACAN: SEMINÁRIO X – A ANGÚSTIA

Vânia Aparecida Pattussi

Lia Cunha Poletto

Návia Terezinha Pattussi

Frequência: quinzenal, às terças-feiras

Horário: 13h45 às 15h15

Início: 03/03/2020

Local: Sede em Chapecó e/ou online

 

 

ESTUDO DA CORRESPONDÊNCIA DE FREUD À JUNG - 1906 À 1914

Conceição de Fátima Beltrão Fleig

Nacitamara Fiorentini

Návia Terezinha Pattussi

Vânia Aparecida Pattussi

Lia Cunha Poletto

Em 1904 inicia a correspondência entre Freud e Bleuler, o então diretor da prestigiada clínica psiquiátrica de Burghölzli na Suiça. Jung, por intermédio desta troca de cartas, tomará conhecimento de pensamentos de Freud para além das publicações existentes e envia-lhe um exemplar de seu livro Estudos diagnósticos de associações. Em 1907, Abraham, assistente de Bleuler e Jung, segue o mesmo caminho, iniciando a correspondência com Freud.

Apesar de se dedicarem a objetos de estudo diferenciados, de acordo com o pensamento da época, Freud estando na via da histeria e os componentes da clínica de Zurich na via da demência precoce e paranoia, será a interpretação dos sonhos o ponto de interesse que levará os suíços a buscar tal aproximação.

Escolhemos por hora as cartas Freud-Jung e acompanharemos o desenvolvimento de seus pensamentos, a paixão pelo inconsciente, as divergências sobre libido, sexualidade, as questões institucionais dos primórdios da história da psicanálise e o importante debate a respeito da transferência.

Encontraremos nestas cartas sonhos de Jung, assim como suas próprias interpretações, nem sempre corroboradas por Freud. Enveredaremos pelos meandros destes caminhos tortuosos da transferência e da construção do arcabouço teórico.

 

As cartas testemunham que entre o criador Freud e aquele a quem considerou que seria seu herdeiro, ocorriam mais discordâncias do que concordâncias, cujo debate faz parte da construção e dos destinos do edifício da ciência do inconsciente, mas que levou a uma cisão teórica e ao desfecho da relação entre ambos.

 Conceição de Fátima Beltrão Fleig

 

Frequência: mensal, terça-feira

Horário: 19h30 às 21h

Início: 24/03/2020

Local: Sede em Chapecó e/ou online

Público: Membros Proponentes da Escola de Estudos Psicanalíticos

 

SEMINÁRIO: “A INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS – Freud”

Návia Terezinha Pattussi

Esses Seminários visam o estudo da obra magna de Freud, A Interpretação dos Sonhos, publicada em 1900. Essa obra tem muitos significados: é o resultado e o testemunho da própria análise de Freud, pois ali utiliza seus próprios sonhos como instrumentos de revelação de toda uma teoria que contempla o funcionamento do inconsciente manifestado nas suas formações, entre elas, os sonhos. Ao dissecar o funcionamento dos sonhos Freud apresenta a lógica do inconsciente, o funcionamento do aparelho psíquico.

No prefácio da 3ª edição da Interpretação dos Sonhos, em 1931, ele refere que essa obra “Contém, ainda de acordo com meu juízo atual, o mais valioso dos descobrimentos que tive a fortuna de fazer. A sorte de uma compreensão como essa só ocorre a alguém uma vez na vida.” Esse fato é muito significativo especialmente num pesquisador como Freud que nunca exitou em rever seus pontos de vista e assim o fez inúmeras vezes no decorrer da obra.

A Interpretação dos Sonhos foi para Freud um paradigma, um farol que o guiou na ampliação de suas descobertas. Especialmente nos momentos em que, em função da obscuridade do campo de sua pesquisa, dúvidas emergiam, era à essa obra que recorria para não perder o fio de sustentação da psicanálise.

Isso revela a importância do estudo dessa obra pelos interessados pela psicanálise e especialmente por aqueles que visam uma formação analítica, uma vez que A Interpretação dos Sonhos é a tessitura do caminho da formação psicanalítica de Freud, é o resultado de um trabalho intelectual e subjetivo onde ele sedimenta as bases de tudo o que construirá depois na psicanálise.

Frequência: Mensal, quintas feiras, das 19h30 às 21h

Datas: 27/08, 24/09, 29/10/, 26/11, 17/12/2020

Local: Sede em Chapecó e/ou online

 

 

 

GRUPO DE ESTUDOS: “A PSICOPATOLOGIA DA VIDA COTIDIANA – Sigmund Freud”

 

Lia Cunha Poletto

Psicopatologia da vida cotidiana é um dos textos fundadores do método psicanalítico. Freud submete à investigação psicanalítica (1901) vários atos falhos: esquecimentos; enganos; lapsos de linguagem; equívocos na ação e na fala. Freud nesse trabalho enfatiza que todos os tipos de casos de atos falhos, o que eles têm em comum, independentemente do material, é o fato de não estarem entregues a uma escolha psíquica arbitrária. Demonstra que todos exibem o mesmo mecanismo psíquico, por via associativa, com um conteúdo de pensamento inconsciente. Que é na falha do dizer e do fazer que o inconsciente se revela.

 

Frequência: mensal, terças-feiras, 18h30 às 20h

Datas: 18/08, 22/09, 20/10, 17/11

Local: Sede em Chapecó e/ou online