google201fcf4808d38e23.html

A ANGÚSTIA

XVI Jornada da Escola de Estudos Psicanalíticos

21 de novembro de 2020 - online

- Campo temático escritos e seminários de Lacan -

Cabeça rafaelesca arrebentada, 1951 - Salvador Dalí

     Lacan causou surpresa ao anunciar seu Seminário sobre o tema da angústia e podemos apreender que indiretamente dava uma resposta àqueles que o criticavam por desconsiderar os afetos. Certamente foi um momento e contexto crucias em sua trajetória, como ficou demonstrado pela “excomunhão” que lhe impuseram um pouco depois. A angústia freudiana é o que mais afeta o sujeito, é o afeto maior que atinge tanto o analisante quanto o analista. Deste modo, ele retoma toda a problemática freudiana da angústia e postula que “a angústia não é sem objeto”, ao passo que o medo seria sem objeto. Apresenta-nos os enlaces e os desenlaces entre a angústia, o desejo e o gozo, destacando a primazia do Outro no advento do sujeito desejante e do objeto causa de desejo, o obscuro objeto a. A angústia que importa ao psicanalista não se afasta daquela nomeada por Freud: a angústia de castração. Em torno dela giram todas as interrogações, no eixo sexualidade e morte. Que inovações e consequências advém disso para a clínica psicanalítica hodierna? Como conceber, a partir da especificação de sua noção de objeto a, a relação entre o significante, veiculado na fala, e o corpo? Estas e outras questões animam nossa Jornada.

Atenciosamente,

Comissão Organizadora e Científica da Jornada

Campo temático escritos e seminários de Lacan

Mario Fleig

Sonia Maria Perozzo Noll

Nair Macena de Oliveira

Izabel Joana Dal Pont

Maria Cristina Hein Fogaça

Matha Wankler Hoppe