CAMPOS TEMÁTICOS


..........O labor de formação de psicanalistas que, assim como Freud o instituiu, inicia pela análise pessoal e entrada no campo teórico, segue pelo ingresso na prática e a correspondente análise de controle. Deste modo, o trabalho de discussão e aprofundamento de conceitos, visando à formação e orientado por psicanalistas da instituição, ocorrerá sob o formato de mesa-redonda em assembleia, destinado exclusivamente a seus membros e proponentes.

M.F.



I. FREUD E A HISTÓRIA DO MOVIMENTO PSICANALÍTICO
Conceição de Fátima Beltrão Fleig

Nacitamara Fiorentini

Návia Terezinha Pattussi

Beatriz Dias Malo

Vânia Aparecida Pattussi

Lia Cunha Poletto

 

Correspondência Freud/Jung
1906-1914

..........Em 1904 inicia a correspondência entre Freud e Bleuler, o então diretor da prestigiada clínica psiquiátrica de Burghölzli, na Suíça. Jung, por intermédio desta troca de cartas, tomará conhecimento de pensamentos de Freud para além das publicações existentes e envia-lhe um exemplar de seu livro Estudos diagnósticos de associações. Em 1907, Abraham, assistente de Bleuler e Jung, segue o mesmo caminho, iniciando a correspondência com Freud.
..........Apesar de se dedicarem a objetos de estudo diferenciados, de acordo com o pensamento da época, Freud estando na via da histeria e os componentes da clínica de Zurique na via da demência precoce e paranoia, será a interpretação dos sonhos o ponto de interesse que levará os suíços a buscar tal aproximação.
..........Escolhemos por hora as cartas Freud-Jung e acompanharemos o desenvolvimento de seus pensamentos, a paixão pelo inconsciente, as divergências sobre libido, sexualidade, as questões institucionais dos primórdios da história da psicanálise e o importante debate a respeito da transferência. Encontraremos nestas cartas sonhos de Jung, assim como suas próprias interpretações, nem sempre corroboradas por Freud. Enveredaremos pelos meandros destes caminhos tortuosos da transferência e da construção do arcabouço teórico.
..........As cartas testemunham que entre o criador Freud e aquele a quem considerou que seria seu herdeiro, ocorriam mais discordâncias do que concordâncias, e cujo debate faz parte da construção e dos destinos do edifício da ciência do inconsciente, mas que levou a uma cisão teórica e ao desfecho da relação entre ambos.

C.F.B.F.

Frequência: mensal, terça-feira
Horário: 19h30min às 21h
Início: 24/03/2020
Em conjunto com Movimento Psicanalítico de Chapecó
Locais: Sede EEP Porto Alegre e Caxias do Sul; Sede MPC Chapecó

 


II. ESCRITOS E SEMINÁRIOS DE LACAN
Izabel Joana Dal Pont

Sônia Maria Perozzo Noll

Maria Cristina Hein Fogaça

Mario Fleig

Martha Wankler Hoppe

Nair Macena de Oliveira

Rosane de Abreu e Silva

..........Iniciamos a leitura e interpretação do seminário 10 de Lacan, A angústia, em 2019, e seguiremos em 2020. Aprendemos que a angústia, que não é sem objeto, é a sensação do desejo do Outro. Parece claro que o tema da angústia, em sua relação com o objeto a, é o eixo deste seminário. Entretanto, qual seria sua questão central e a quem está endereçado? O que este obscuro desejo do Outro teria a ver com a instituição e a formação psicanalítica? O que se passa neste ano de 1963 na vida institucional em que Lacan está inserido? Ora, já em 1959, no Congresso de Copenhague, havia sido postulado um pedido de afiliação à IPA, que seguiu seu curso até a imposição da condição de exclusão de Lacan. Os pontos problemáticos eram relativos à concepção da transferência, da contratransferência e sua incidência na estrutura da instituição psicanalítica, além da questão da duração das sessões, talvez o ponto de impasse. Este é o pano de fundo do seminário de 1962-1963: Lacan desloca a discussão postulando que a angústia se conjuga com o desejo do analista, de tal modo que este ocupe seu lugar no tratamento não mais como sujeito, mas como objeto. O corte em sua função apresenta uma nova maneira de dirigir uma análise.


Frequência: mensal, primeira quarta-feira de cada mês
Horário: 19h45min
Início: 04/03/2020
Datas: 04/03; 01/04; 06/05; 03/06; 01/07; 05/08; 02/09; 07/10; 04/11; 02/12
Local: Sede EEP Caxias do Sul

 


III. PSICANÁLISE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
Ariela Siqueira Dal Piaz

Elenice Cazanatto

Denise Nunes Mousquer

Nara Lúcia Girotto

Margareth Kuhn Martta

..........O Campo Temático Psicanálise da Criança e do Adolescente propõe um estudo voltado aos pressupostos teóricos cruciais, presentes na especificidade deste saber clínico, à luz do pensamento de Freud e Lacan, contemplando a leitura de outros autores contemporâneos. Iniciaremos revisitando as teorias sexuais infantis postuladas por Freud acrescidas das contribuições de Jean Bergès e Gabriel Balbo.

A.S.D., E.C., D.N.M., N.L.G., M.K.M.


Freud e as teorias sexuais infantis – Contribuições de Jean Bergès e Gabriel Balbo

Frequência: mensal, quartas quintas-feiras de cada mês
Horário: 20h às 21h30min
Datas: 26/03; 23/04; 28/05; 25/06; 27/08; 24/09; 22/10; 26/11
Local: Sede EEP Porto Alegre e Caxias do Sul

 


IV. SERVIÇO DE ATENDIMENTO CLÍNICO
Conceição de Fátima Beltrão Fleig

Margareth Kuhn Martta

Maria Nestrovsky Folberg

..........A formação do psicanalista se dá a partir da própria análise, da análise de controle da prática, do estudo rigoroso dos conceitos e da psicopatologia psicanalítica, sendo que a posição de psicanalista advém do se autorizar por si e por seus pares, entre estes, na instituição psicanalítica.
..........Partindo destes preceitos oriundos dos primórdios da formação de psicanalistas por Freud, construímos, no seio de nossa instituição, o espaço do Serviço de Atendimento Clínico, dedicado à prática e à experiência no âmbito de consultório e de clínica em instituição, experiência esta partilhada com a equipe nas discussões, supervisões e construções de formulações.
..........De acordo com o espírito no qual concebemos o Serviço, a partilha não se dá apenas da parte daquele que traz um caso a ser examinado, mas também se dá da parte do que supervisiona e que ali, diante dos pares (a equipe), dá testemunho de sua própria formação, e também daquele que apresenta um paciente, pois ali o que mais se desvela é o psicanalista em seu modo de operar e diante da seleta audiência.
..........Tais são os pressupostos que sustentam o Serviço e este campo temático se encontra ao alcance dos membros e proponentes que almejem agregar à sua formação a viva experiência do trabalho em equipe pautado pela operação psicanalítica.

C.F.B.F.


 

Tratamento Psicanalítico para crianças, adolescentes, adultos e intervenções com bebês em situação de risco psíquico

..........Os atendimentos ocorrem nos endereços da instituição ou nos consultórios dos membros da equipe, assim como no âmbito das creches, escolas de educação infantil, ensino fundamental e médio da rede pública estadual e municipal e instituições de cunho social.

 


Letra: intervenções clínicas no âmbito institucional
Supervisão da equipe
Conceição de Fátima Beltrão Fleig, Maria Nestrovsky Folberg


Frequência: quinzenal, quintas-feiras
Horário: 9h30min às 10h30min
Início: 05/03/2020
Local: Sede EEP Porto Alegre e Caxias do Sul

 


Impasses: das entrevistas preliminares à direção do tratamento
Supervisão e discussão dos casos do Serviço (a partir de crianças de 6 anos)
Conceição de Fátima Beltrão Fleig, Maria Nestrovsky Folberg


Frequência: quinzenal, quintas-feiras
Horário: 10h30min às 11h30min
Início: 05/03/2020
Local: Sede EEP Porto Alegre e Caxias do Sul

 


A clínica do bebê e da primeira infância: discussão de casos
Margareth Kuhn Martta


Frequência: quinzenal, nas primeiras e segundas segundas-feiras do mês
Horário: 20h às 22h
Início: fevereiro/2020
Local: Sede EEP Caxias do Sul e Porto Alegre